NO DISC, NO FILMS

O segmento deste blog não é discos e filmes para baixar, embora eu farei comentários sobre discos e filmes que eu gosto e outros que eu não gosto mas acabei assistindo e extraindo algo de legal. Minha opinião pode não interessar para ninguém, mas... pensando bem, tem tanta gente por aí opina e escreve... sou apenas mais um. Apenas um aviso, meus comentários as vezes são corrosivos. Dizem na minha família que eu já nasci rabugento.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

O que é ser fã? Coleções.




Aviso do autor:
A postagem a seguir fala de pessoas com sérios problemas de serem entendidos por pessoas normais. Se no decorrer do texto você achar que está chato não fique sem jeito de ir fazer outra coisa. Além de ser doença isso costuma ser contagioso, to falando, aconteceu comigo!
Essa postagem nasceu como uma postagem para o Súditos o blog sobre Roberto Carlos. Até o sexto parágrafo eu mantive a postagem de lá, onde eu falo um pouco o que é ser fã de Roberto Carlos. Mas acabei me lembrando que eu tenho mais de um ídolo. Então do sexto parágrafo em diante tá diferente. Aliás, dê uma passada lá também http://suditosrc.blogspot.com.br/2013/05/o-que-e-ser-fa-de-roberto-carlos.html
(do inglês: fan [fæn], de fanaticFanático“) é uma pessoa dedicada a expressar sua admiração por uma pessoa famosa, grupo, idéia, esporte ou mesmo um objeto inanimado (por exemplo, um automóvel ou um modelo de computador).
Muitas vezes, fãs são organizados em fã-clubes e torcidas.
O que é ser fã?
Essa postagem originou-se de uma atualização de status no facebook do nosso amigo, leitor, comentarista e praticamente sócio da casa Robert Moura. Ele conseguiu resumir em palavras o que é ser fã de Roberto Carlos.
Assim disse Sir Robert:  Gostar de Roberto Carlos para mim é algo como ser brasileiro, ser mineiro, ser filho do Seu Vicente e da Dona Neusa, é como ser cruzeirense, coisas sobre as quais eu não tive o mínimo controle nem opção de escolha, mas se pudesse escolher eu teria escolhido tudo isso!”
Segundo o Wikipédia, a palavra fã é de origem inglesa fan de fanatic, fanático é a pessoa dedicada a expressar sua admiração por uma pessoa famosa, grupo, etc. Os fãs podem se organizarem em fã-clubes. Fanzine é uma publicação feita pelos fãs, geralmente os fanzines são impressos, hoje em dia com o advento da internet pode ser distribuída por email ou ser postada em site, o que eu nem imaginava que chamava E-Zine.
Quando somos fã de algum cantor ou cantora, banda, ator ou atriz gostamos de ter os discos, revistas, publicações, DVD, cd, reportagens em jornal, poster, livros, bottom, camiseta, tudo o que é relacionado ao ídolo. Aí já caímos na categoria colecionador. Que é o doente, pessoa que compra, troca tudo o que vê pela frente.  Segundo minha mãe, é o famoso juntador de tranqueira. O papo é sempre o mesmo quando eu chego com disco, minha mãe olha e diz: Mais disco? Pra colocar a onde? De fato, para a mãe de fanático colecionador deve ser um desgosto mesmo. 
E assim começou minha coleção do Elvis, por muito tempo esses três eram os únicos discos que eu conhecia.

Este pobre infeliz que vos escreve, tem a felicidade de ser fanático por mais de um ídolo. Tudo começou com o Roberto Carlos, desde pequeno ouço seus discos, vejo seus especiais de fim de ano, já fui a shows, etc. Além do Roberto sou fã do Elvis Presley (magina, nem dava pra perceber aqui pelo blog né?) pois bem. Tudo ia bem enquanto eu conhecia alguns poucos discos, até o dia que eu vi o documentário/filme That´s The Way It Is, de 1970, lançado em VHS que eu pagava diárias e mais diárias na vídeo locadora perto de casa. Com os Beatles foi a mesma coisa. Enquanto eu conhecia poucos discos, era uma coisa. Quando assisti o Compleat Beatles, documentário que é praticamente o avô do Anthology... Depois quando você junta daqui, consegue dali, lembro que o começo da minha coleção dos Beatles foi meio que negociável. Por volta dos meus 17 anos ou 16 não me lembro, comecei a tocar com um pessoal que tinha a ideia de ser uma banda de blues, seria só música própria, daquelas que não anima nem festa com os amigos mais chegados, enfim... o começo da minha coleção se deve ao fato de eu falar para o guitarrista: Olha, vou te apresentar uma menina que você vai curtir, o que eu quero em troca? Suas coisas dos Beatles. No final das contas ele não ficou com a menina... Assim começou minha coleção dos Beatles e vieram algumas revistas do Elvis Presley no meio. 




Agora, uma coisa é você ter uma revista ou duas, uma lembrança de um show, um souvenir no máximo. Outra coisa é você querer ter tudo que vê pela frente. Tenho o costume de colecionar tudo em pastas catálogo daquelas com plástico. Assim dificulta ou pelo menos demora mais para o papel perder a cor, não amassa, não dobra em lugares indesejáveis... quando é alguma reportagem pequena, eu até um bom tempo atrás tinha o costume de colar em uma folha sulfite várias reportagens e colocar em um plástico. Mas com o passar dos anos veio o computador pra desgraçar a minha vida em certos aspectos de modo que eu não consigo dar atenção devida às coleções. 
Difícil achar originais, mas a gente nunca desiste.



Como já mencionei na postagem anterior, sou fã também do Jerry Lewis e Marilyn Monroe.
Hoje eu diria que sou um Beatlemaníaco Presleyteriano e Robertista, não necessariamente nessa mesma ordem. Gosto do Michael Jackson, Kiss, Led Zeppelin, Deep Purple... Mostro a vocês por meio de fotos uma pequena parte da minha coleção, que não é nada demais, algumas pessoas já me disseram: Poxa, mas as coisas que você tem nem dá pra ganhar dinheiro... Seria esse o intuito? Coleciono porque gosto. Aliás, o objeto colecionável tem valor incalculável para o colecionador.  Duro é ter um espaço legal pra armazenar tudo isso, casa meio pra lá de pequena fica difícil guardar tudo, mas a gente dá um jeito. Aliás, por mais que a gente tenha tanta coisa, a gente sempre acha que tá faltando algo. 









Essa postagem também contará com fotos de coleções de amigos meus, que gentilmente cederam as fotos para ilustrar a postagem. O assunto coleção pode ir bem mais além. Tem gente que coleciona não somente itens relacionados a artistas ou bandas, tem gente que coleciona caneta, gibi, lapiseira, moedas, selos, carrinhos, bonecos... O nosso tremendão Erasmo Carlos é um colecionador de camisa de time de futebol e muito antes da Jovem Guarda já colecionava letras de rock dos anos 50. Elvis Presley também colecionava, armas.
Além disso, tem fã que vai além, imitando tudo referente ao ídolo. Não necessariamente um cover (assunto que um dia a gente vai falar aqui ainda), mas tem fã que se veste igual ao ídolo, anda, fala, tenta seguir a mesma linha de raciocínio e o último estágio, se sente uma cópia viva do ídolo. Aí já cai em outro aspecto de se anular ou perder a identidade, que também é assunto pra outra postagem.
Saindo um pouco do eixo fã, na verdade O ser humano adora colecionar. Seja lá o que for. Coleção não é acúmulo. Uma pessoa coleciona discos ou acumula os discos que gosta de ouvir, ou os livros que gostou de ler? A pessoa coleciona. Pois um dia essa pessoa vai querer ler de novo o livro ou ouvir novamente o mesmo disco. Fugindo um pouco da linha discos/livros, tive a ideia dessa postagem justamente depois de ver o que eu e alguns amigos temos em matéria de coleções. Lancei então a pergunta lá no facebook se alguém colecionava algo e queria fazer parte dessa postagem cedendo fotos. Tem gente que coleciona canetas, lapiseiras, canecas, moedas, dinheiro (cédula antiga), passe de ônibus, gibis, cartões telefônico, cartão postal, selos, figurinhas, celulares (do jeito que a coisa anda, quem não tem ainda guardado aquele baita tijolo?), copos, plantas, carrinhos de metal, a coisa não para por aí.
Indo um pouco mais além, o colecionador geralmente nunca tem limite. Não há aquele pensamento do tipo: “Ah, acho que já está bom, parei!”. Para o colecionador por mais que ele tenha do objeto que coleciona, nunca é demais. Vale até repetido.
De colecionadores famosos, a lista é imensa. O nosso tremendão Erasmo Carlos, bem antes do sucesso, colecionava letras, revistas, artigos de rock n roll. Roberto Carlos colecionava cachimbos. Tom Hanks coleciona máquinas de escrever. Elton John coleciona óculos. Não tem muito o que falar, famoso ou não, todo mundo tem o hábito de colecionar.
Colaboraram com essa postagem os amigos: Andrei Fix, Paulo Presley, Daniela Santos, Danillo Albuquerque, André Katz, Daniel Tessari, José Mathias. 






























9 comentários:

  1. maravilha Barattão...como "juntador de tranqueira" juramentado, gostaria de agradecer o ótimo texto!

    ResponderExcluir
  2. Adorei!!!!!!!
    Vale um ohhhhh...
    Daniela Santos.

    ResponderExcluir
  3. Nossa Baratta, adorei essa postagem! Diria que é uma das suas melhores que li aqui no blog.
    Só quem é fã de verdade, seja de um ídolo, dois ou mais; sabe o que é esse sentimento de carinho, amor, devoção e dedicação. E colecionar faz parte também.
    Até emociona ver essas lindas fotos. Pois é na coleção que vemos o amor e carinho do fã para o seu ídolo. É fantástico!
    Parabéns por mais um texto muito show!
    Abraços :)

    ResponderExcluir
  4. Pois é Simone, a gente vai juntando sem ter uma dimensão exata de onde tudo pode parar. No nosso caso é mais artista e banda. Agora, não nos esqueçamos que tem mulheres casadas, avós praticamente que tem lá suas coleções de Barbie, tem gente que coleciona long neck de cerveja de vários países, isso que a gente não mencionou ainda os fãs da saga Star Trek, com certeza daria uma bela postagem só deles.
    Beijo Baratta.

    ResponderExcluir
  5. "o começo da minha coleção se deve ao fato de eu falar para o guitarrista: Olha, vou te apresentar uma menina que você vai curtir, o que eu quero em troca? Suas coisas dos Beatles. No final das contas ele não ficou com a menina... Assim começou minha coleção dos Beatles e vieram algumas revistas do Elvis Presley no meio. "

    ahuhauhauhua, sacanagem, mano.

    Valeu mais uma vez pela citação, e eu realmente não sabia que tu tinha tanta coisa do Elvis.

    Bicho, vou te dar um conselho que também tentarei seguir, tente arranjar pelo menos 2h por semana, num sábado de manhã, sei lá para ir mexendo na sua coleção física, organizar as pastas, essas coisas porque elas valem muito mais do que o que está no PC e chega num ponto em que perdemos o controle mesmo, to cheio de coisas pra organizar também.

    grande postagem, grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Pois é mano. Já perdi o controle totalmente. Cheguei num ponto em que sei exatamente o que tenho, principalmente quando não acho. Pô mais eu tinha tal coisa! Material em pasta eu tenho por demais, sábado de manhã eu trabalho (ó as desculpas) rs. Mas já cheguei a pensar nisso, tirar umas duas horas por semana ou até três, já que eu fico pelo menos CINCO por DIA no computador, puta disperdício rs.
    Abraço mano, e estou esperando suas fotos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As fotos vão sair quando eu tirar esse tempinho também, ahuahua, aguarde.

      Excluir