NO DISC, NO FILMS

O segmento deste blog não é discos e filmes para baixar, embora eu farei comentários sobre discos e filmes que eu gosto e outros que eu não gosto mas acabei assistindo e extraindo algo de legal. Minha opinião pode não interessar para ninguém, mas... pensando bem, tem tanta gente por aí opina e escreve... sou apenas mais um. Apenas um aviso, meus comentários as vezes são corrosivos. Dizem na minha família que eu já nasci rabugento.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

The Compleat Beatles (O Avô do Anthology)



Muita coisa foi escrita sobre os Beatles depois do dia 10 de Maio de 1970, quando Paul McCartney foi a capa do Daily Mirror no dia 10 de Maio de 1970, quando “deixou” os Beatles. Nem vou entrar na questão que foi John Lennon que saiu primeiro, enfim... Muita coisa foi escrita, muitos “estudiosos” proclamaram suas versões sobre o final da maior banda do século, alguns documentários foram feitos, mas muito antes do mega-projeto Anthology, um documentário de 2 horas foi considerado a verdadeira história dos Beatles.
The Compleat Beatles

Em 28 de Maio de 1982 era lançado nos Estados Unidos o documentário The Compleat Beatles. A palavra “complementat” é uma referência linguística ao trocadilho ortográfico de “Beetles” e uma referência ao famoso livro de pesca “The Compleat Angier”. O documentário é narrado pelo ator Malcolm McDowell e traz bastante entrevistas de pessoas ligadas aos Beatles como o produtor George Martin, o primeiro empresário Allan Williams, DJ Bob Wooler, entre muitos e muitos outros. Também tem trechos de entrevistas dos próprios Beatles. O filme foi dirigido por Patrick Montgomery e produzido pela Delilah Films / Eletronic Arts Pictures e lançado pela MGM  e United Artists em 1984.
Por muitos e muitos anos, o The Compleat Beatles, foi o documentário que todo fã dos Beatles precisava conhecer. O que tínhamos de material era o material que vinha nas duas horas do VHS que alugávamos nas locadoras. No meu caso, pagava diárias e mais diárias, pois era impossível assistir uma única vez, devolver no dia seguinte, então... Duros tempos em que já era um custo ter um vídeo-cassete, quanto mais dois... Mas o tempo foi passando até que em 1995 o mundo foi surpreendido pelo mega-projeto Anthology. Mais de dez horas de uma super produção, mais três CDs duplos (também em vinil triplo, quem mandou eu não estudar???), mais um livro de luxo, se tem uma coisa que não se pode dizer é que a história dos Beatles não foi devidamente documentada e o Anthology é até hoje última palavra quando o assunto é biografia dos Beatles.
A partir de uma rápida pesquisa na internet, a informação que tenho é que alguns anos antes do lançamento do Anthology, os direitos do Compleat foi comprado para ser tirado do mercado e focar apenas no Antholgy. Esse, segundo o que eu entendi, foi o motivo para o Compleat só existir em VHS, “chora você que não possui a VHS original e ainda por cima jogou aquele vídeo-cassete fora, porque ninguém quis comprar” e não ter saído em DVD ou Blu-Ray. The Compleat Beatles pode ter até ficado obsoleto, mas é um filme gostoso de se assistir. Para quem conseguiu baixar por torrent, o Compleat não tem legenda. Mas não faz mal, até porque a gente até consegue identificar uma ou duas palavras em cada vinte minutos... Mas a gente é feliz assim mesmo.
Então eu costumo dizer: Nem conheceu o The Compleat Beatles e quer discutir Beatles comigo!!!

4 comentários:

  1. Baratta:

    Não sei se você sabe, mas eu sou músico, provavelmente não o tipo de músico que você gosta, pois canto na igreja católica. Tenho um grupo de canto, sou cantor, toco violão e sou regente do Coral da Nossa Senhora Aparecida. Entretanto eu não sou o músico de igreja comum, ao contrario, estudo muito a música, cantores, ritmos, estilos, teorias, biografias, etc. e os Beatles, com seu dinamismo criativo são meu laboratório particular. Pra facilitar, vou complementar esse comentário com um outro que eu postei lá no Pablo pra você ter uma ideia de como eu vejo os Beatles.

    Segue abaixo:

    "O incrível nesta banda, The Beatles, é como eles evoluem em um curto período de tempo.
    Se pegarmos She Loves You de 1964, que era um legitimo ie, ie, ie e compararmos com Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band que é um rock feroz nos moldes do anos "70 é de ficar com vertigens. Que cabeça que tinham Lennon, McCartney e esse produtor George Martin. Os três eram um usina de criatividade e com isso não só elevaram a qualidade artística dos Beatles a estratosfera, como catapultaram a banda para anos no futuro.
    Que faremos nós hoje sem esses gênios?"

    Eu já comentei com o Pablo que os Beatles começaram o rock progressivo na metade final da década de "60 antes de sequer o nome rock progressivo existir. Os caras eram a vanguarda da vanguarda.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Então Serge, eu também sou músico e minha formação foi Beatles, Elvis Presley e Roberto Carlos, essa foi minha trindade santa musical, rs. Mas minha formação na prática foi a igreja católica, toco na católica desde 1989 até os dias de hoje. Só fiquei uns 5 anos fora de 2005 a 2010 porque trabalhava muito aos domingos, mas voltei, e pra mesma igreja onde to sempre por ali tocando. Segue abaixo um vídeo do Hino da Campanha da Fraternidade desse ano que a CNBB inventa todos os anos. Espero que goste, era a primeira vez que tocamos na missa desse ano, desculpe os erros, rs. Sou o veínho do violão ao lado do teclado. No meu canal tem mais vídeos legais da gente tocando na missa. Enquanto todo mundo fala da mudança dos Beatles do Revolver pra frente eu enxergo mudanças bruscas já no For Sale. Beatles é vida meu querido rs.
    Um abraço do Baratta.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal você também, supreendentemente, tocar na igreja católica. Que bom que poderemos falar a mesma língua. Infelizmente seu vídeo não veio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui o vídeo Serge, acho que não colei o link rs
      https://youtu.be/5TjiIm338Hg

      Excluir